11/03/2011

Meta Modelo


Vamos para mais um artigo ?
Este ainda irá enfocar canais de comunicação, Linguagem.

O META MODELO DE LINGUAGEM

Tomemos o seguinte diálogo entre um vendedor e um cliente:

- Eu quero comprar um carro que seja confortável, em que eu me sinta muito bem, e que seja macio para dirigir.

- Pois não, senhor. Acabo de ter uma idéia brilhante.
Eu imagino que o senhor gostaria muito de um carro de estilo jovem, como este aqui. Veja que linda cor...

 É bastante provável que a venda não se efetue.
É como se o cliente e o vendedor estivessem falando línguas diferentes.
 O cliente fala usando predicados que indicam que ele está num acesso
cinestésico de sua experiência ("confortável", "sinta", "macio"),
e também que ele privilegia critérios cinestésicos ao comprar um carro.
Já o vendedor responde utilizando palavras processuais (predicados) visuais
("brilhante", "imagino", "estilo jovem" , "veja", "cor").
O cliente está pedindo uma coisa e o vendedor está lhe mostrando outra.
Cada palavra processual usada (visual, auditiva,
cinestésica) indica que a experiência interna daquele
que fala está sendo representada num determinado sistema sensorial.

O uso habitual de uma categoria de palavras processuais
em detrimento de outra é indicativo de um sistema
representacional primário. Este é o que é mais desenvolvido
e usado com mais freqüência do que outros.
Resultará no fato de que o indivíduo perceberá o mundo primordialmente através deste sistema.
A fim de que você compreenda as informações que serão discutidas a seguir, sugerimos a seguinte experiência:

1 - Pense num momento muito especial de sua infância.

2 - Como era a voz de sua professora predileta?

3 - Sinta o gosto do sorvete de morango.

Para cumprir estas tarefas foi preciso conseguir acesso a certas classes distintas de experiências passadas.
Chamamos o processo de obtenção da informação (o processo de conseguir a informação subjetiva:
as imagens, os sons, as palavras e sensações que fazem parte das memórias e fantasias) de acesso.
Pistas de acesso são os comportamentos não verbais que indicam como a informação foi
colocada à disposição da mente consciente. Pistas de acesso são os movimentos dos olhos que
indicam como uma pessoa pensa - se através de imagens, palavras ou sensações.

Quando se observa uma pessoa e seus olhos estão voltados para cima e à direita (dela),
isto significa que ela está criando imagens (acesso visual construído),
como por exemplo, a imagem de como ela ficaria se usasse determinado tipo de roupa.

Todos provavelmente já passaram pela experiência de fazer uma pergunta a alguém que desviou o olhar,
mexeu os olhos para cima e para a esquerda e disse: "Huuummm, deixe-me ver...".
E viu. Buscou em suas imagens visuais recordadas.

Portanto, as pistas de acesso podem ser detectadas pela simples observação dos movimentos oculares.

Especificamente para pessoas destras, consideremos o movimento dos olhos na direção mostrada na
ilustração abaixo: 





Vl - Visual lembrado (olhos voltados para cima e à esquerda): ver imagens de coisas vistas antes.
Exemplos de perguntas que eliciam este tipo de acesso incluem:
"Qual a cor dos olhos de sua mãe?" "Como era a primeira casa em que você morou?"

Vc - Visual construído (olhos para cima e à direita):
Ver imagens de coisas nunca vistas antes. Exemplos:
"Como seria um elefante azul de bolinhas amarelas?"
"Como você seria se tivesse cabelos verdes e olhos vermelhos?"

Al - Auditivo lembrado (olhos na linha média e à esquerda):
Lembrar de sons ouvidos antes. Exemplos: "Como é o alarme do seu despertador?"
"Como é o som de uma cachoeira?" "Qual a primeira palavra que você disse hoje?"

Ac - Auditivo construído (olhos na linha média e à direita):
 Ouvir palavras nunca ouvidas realmente dessa maneira antes.
Pôr palavras e sons juntos numa nova forma. Exemplo:
"Se você fosse criar uma música agora, como ela seria?"
"Se você pudesse fazer uma pergunta ao presidente Fernando Henrique, o que diria?"

Ai - Auditivo interno - ou Auditivo digital (olhos voltados para baixo e à esquerda):
Falar para si mesmo, diálogo interno. Exemplo: "Diga algo a você mesmo,
algo que você se diz freqüentemente" "Recite um verso mentalmente".
C - Cinestésico (olhos para baixo e à direita): sentir emoções e sensações. Exemplo:
"Como é a sensação de correr?" "Como você se sentiu hoje pela manhã, logo que acordou?"

Para pessoas sinistras (as chamadas "canhotas") os padrões são invertidos:
o acesso visual construído é observado do lado esquerdo,
o visual lembrado do lado direito, e assim por diante.

Quando afirmamos que os movimentos oculares são padrões,
queremos dizer que eles são observados em todas as pessoas dotadas de uma organização neurológica normal.
Nelly Beatriz M. P. Penteado
Pessoal por hoje é só, agradeço à você que chegou até aqui.
Deixe seu comentário ok
VCaparroz

2 comentários:

Angelica disse...

Boa tarde! Gostei do texto e passarei a observar para analisar os padroões indicados em relação ao meu comportamento, depois te conto...Abraços!

Vilma disse...

Olá Angélica,quando começei a usar a pnl,era mais visual,tanto que quando falava com meu filho,Rogers eu usava a frase; olhe pra mim quando falo rsrsr ele me dizia; mãe eu escuto com o ouvido rsrsr,já deu pra saber ,ele é auditivo, hoje tiro de letra rsrs.é muito bom sabermos os padrões de comunicação do outro...poderemos falar a mesma lingua, entendermos melhor.
Angelica adorei vc vir me visitar rsrs,volte sempre, e obrigada por deixar seu comentário.
Tenha uma semana super abs, Vilma!

 
|Customizado por VCaparroz| ©Black-RedA1 2007 Template feito por |Templates para Você